segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Realidade Virtual


As reportagens mostrando o Haiti devastado e o sofrimento daquele povo vivendo num caos chocaram o mundo e me senti assistindo de camarote a dor alheia. Amarrada a uma poltrona com mil pensamentos caraminholando a minha mente. Lembrei neste momento da palestra que assisti com o Físico e doutor em Cosmologia,Luiz Alberto Oliveira, há alguns anos e que me marcou demais. Ele falou sobre a realidade virtual. Resumindo ele chamava atenção à questão de estarmos vivendo numa época hipertecnificada. "Estamos assistindo a diluição das antigas fronteiras cartesianas que demarcavam o artificial do natural",dizia. "Ao colocar todo o globo em contato instantâneo, ao fazer todos os lugares coalescerem uma simultaneadade de alcance planetário, os meios cibernéticos de produção, manipulação e comunicação de informações estão transformando de modo profundo o significado de ‘estar no mundo’. .
Particularmente decisiva, neste processo, é a crescente homogeneidade dos fluxos de imagens que de todos os lados atravessam o corpo das sociedades atuais: como tanto a transmissão de ‘fatos’ quanto a elaboração de ‘cenas’ se dão pelos mesmos meios digitais, imagens ‘documentais’ (um míssil é disparado de um navio contra um alvo distante, na Guerra do Iraque) se tornam mais e mais semelhantes a imagens ‘ficcionais’ (um míssil é disparado de um navio contra um alvo distante, num videogame). Num caso, destruição concreta; no outro, destruição de mentirinha, ‘virtual’ – mas é cada vez mais difícil, senão mesmo impossível, destacar o referente, avaliar o verossimilhança, distinguir o que se passa numa tela e na outra. No limite, a virtualização do real se mostra indissociável do correspondente ‘realização do virtual’.
PARA REFLETIR!

Nenhum comentário:

Postar um comentário