quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Uma repaginada na minha vida


video

Escolhi este curto vídeo para me encantar e partilhar com os meus amigos a intensidade do amarelo das flores de Ipê que florescem nesta época e floresciam no jardim da minha ex-casa. Verde e amarelo as cores do meu país. Não liguem que estou meio sensível, síndrome normal quando coloco o pé na estrada e saio do Brasil.




Esta natureza mostra a alma do meu país. Eu assistia este espetáculo fora do comum, fantástico da janela da minha ex-casa, nas manhãs ensolaradas,todos os anos, na primavera, quando os ipes começavam a dar flor. Nas praças de Curitiba estão cheios deles e os periquitos todos os anos repetem o ritual. Eles chegam barulhentos - muitos - e voando de lá para cá, de cá para lá, sugam a seiva da flor e a deixam cair no chão e depois partem saciados.



Na verdade, sou uma "romântica sem remédio"que já está com o coração apertado só de viajar e sair para longe de casa. Deve ser a síndrome dos imigrantes, mito, dos meus anscentrais que deixaram o sinal da dor da saudade da terra natal no meu código genético.



Bem, participarei de aulas de história da crítica de arte na Universitá della Sapienza. É um novo projeto de vida. Para partir para esta nova etapa, é claro, estou praticamente aposentada da editoria de cultura do Governo do Estado (agora de licença e aposentadoria no início de 210) e abrindo novos caminhos. Vou dar uma repaginada na vida. Dizem que quem tem projeto de vida não envelhece. Talvez... Não Sei... Mas faz muito bem ao espírito renovar! Agradeço a Deus que me deu a oportunidade e condições para realizar os meus projetos.



Clarissa Pinkola Estés, escritora, psicanalista junguiana, poetisa, diz que " em todas as mulheres, sobretudo na maturidade, instala-se uma força subterrânea e invisível que se manifesta por meio de comportamentos inesperados, arroubos de energia, intuições perspicazes, ímpetos apaixonados: um impulso arrebatador e inesgotável que as impele obstinadamente rumo à salvação, à reconstrução de toda e qualquer integridade despedaçada. Como uma grande árvore que, quando ameaçada pela doença, golpeada pela intempérie, agredida pela fúria do homem, se recusa a morrer e, milagrosamente e com enorme dose de paciência e persistência, continua a nutrir-se através da próprias raízes, rastaura-se e renasce para manter o próprio espírito vital de forma a poder gerar novos frutos, aos quais confiará esta herança inestimável".


Deve ser isto mesmo. É esta força que sinto e vontade de me nutrir mais. Talvez, como estes pássaros que vão e voltam e nutrem-se sempre da seiva da flor.

5 comentários:

  1. Mama...é sempre emocionante ler seus textos, consegue claramente expor os sentimentos e passa-los para quem os lê. O seu sucesso como escritora/jornalista é certo! pelo menos para mim...vc é a melhor mãe do mundo! bjs da sua caçula

    ResponderExcluir
  2. Tia que saudades deste jardim!!!Esta casa está guardada nos nossos corações!
    Você é Maravilhosa!!!
    Rafa

    ResponderExcluir
  3. Minha mama querida, a mulher mais inspiradora da minha vida! Que orgulho de você, mãe! Tenho orgulho deste seu espírito sonhador, conquistador e sedutor! Estamos, suas filhas, muito felizes por você! E te amamos muito. E a Clau tem toda a razão quando diz:"vc é a melhor mãe do mundo".
    Besitos enormes e abraço de urso da sua filha recheio, a melhor parte do sanduiche (do meio) hihi...

    ResponderExcluir
  4. Tia é ótimo renovar as energias, concordo com o q as meninas disseram!!ah respeito da casa: ela está guardada na minha infância!!=)
    Te amoo
    Boa viagem e boas energias !

    ResponderExcluir
  5. que linda Mariiiiiiiiiii............e essa saudade da casa! meio triste até!!! Será que mandei aquelas fotos que tirei par vc? Lembra?
    Acho que temos que mobilizar nosso recanto das "véias" logo.....para nunca perdermos a chance de sentir a vida! te amo, viu amiga! Você é sensacional ao escrever e a única pisciana com quem "me dou" bem...hehehe

    ResponderExcluir